Morte por embolia pulmonar em pós-operatório: fato imprevisível. Atendimento médico adequado. 16.11.2019 • por Diego Mariante Cardoso

Paciente com varizes no membro inferior esquerdo (insuficiência da veia safena e microvarizes) submeteu-se a cirurgia para tratamento do quadro. O ato cirúrgico (safenectomia na perna esquerda, com retirada de trajetos varicosos além de escleroterapia de microvarizes) ocorreu após a realização dos exames pré-operatórios indicados, sendo a paciente submetida à anestesia raquidiana. Não houve intercorrências durante a cirurgia. No transcorrer do dia, a paciente apresentou boa recuperação pós-operatória. Aproximadamente às seis horas da manhã do dia seguinte, primeiro dia pós-operatório, a paciente foi ao banheiro e, após, sentiu-se mal, chamando a equipe de enfermagem, a qual verificou que dita paciente…

Aneurisma: encaminhamento correto. Óbito do paciente não teve causa no tratamento médico. Primeiro atendimento ocorreu na Emergência, com orientação adequada para consulta a neurologista. 15.11.2019 • por Diego Mariante Cardoso

Paciente com queixa de “cefaléia occipital, seguida de tontura e um episódio de lipotimia (queda transitória), acompanhado de náuseas” apresentou-se a atendimento em setor de Emergência. O médico que o atendeu realizou a avaliação física, solicitando de imediato um eletrocardiograma do paciente, o qual revelou nenhuma alteração cardiológica. Assim, receitou-lhe um analgésico e orientou-o a procurar um neurologista, pois o nosocômio não possuía tal especialista. Mais de 48h depois, dito paciente foi internado em outro hospital, sendo verificada hipertensão por um clínico geral. A seguir, houve atendimento por neurocirurgião, o qual veio a relatar “um trauma de crânio por choque…

Amputação – tabagismo: orientações médicas corretas, desobediência do paciente 15.11.2019 • por Diego Mariante Cardoso

Paciente com queixa de dor lombar e dormência nos membros inferiores procurou atendimento. Possuía quarenta e seis anos, era tabagista (mais de duas carteiras por dia), há muito tempo, e apresentava os sintomas progressivos nos últimos anos; já havia consultado outros profissionais e tinha o diagnóstico de ser portador de problemas circulatórios. Informou que todos os médicos que consultara anteriormente sempre o orientaram a não fumar, porém não conseguia abandonar o tabagismo. O diagnóstico realizado foi o de Tromboangeite Obliterante (TAO), doença inflamatória que atinge preferencialmente as artérias dos membros inferiores, e que determinava de há muito os sintomas referidos.…

Cirurgia plástica: tratamento adequado. Eventual necessidade de retoque pode decorrer da peculiaridade do organismo, e não significa, em si, má-prática médica. 15.11.2019 • por Diego Mariante Cardoso

Paciente realizou consulta com cirurgião plástico, sendo constatadas rugas peri-orbitais, flacidez das pálpebras e cauda do supercílio caída, além de adiposidades na região geniana (bochechas) e um pouco no submento (abaixo do queixo), apresentando o nariz uma ponta globosa e columela bífida. Em quatro dias, após a realização dos exames necessários, foi realizada cirurgia para a solução de tal quadro. Feita a intervenção, a paciente apresentou-se a algumas revisões marcadas no pós-operatório. Depois não mais retornou. Insatisfeita, ingressou no Judiciário com ação de indenização de danos materiais e morais, alegando que ficara com seqüelas, principalmente relativamente às bochechas, nas quais…

Fasceíte necrotizante: tratamento adequado. Grave infecção pós-operatória corretamente resolvida. Seqüelas de parede abdominal poderão ser corrigidas cirurgicamente. 15.11.2019 • por Diego Mariante Cardoso

Paciente chegou ao hospital com fortes dores abdominais, e, após realização de exames, concluiu-se que o quadro era de apendicite aguda. A cirurgia foi realizada com sucesso, sendo que houve boa recuperação, e alta no quarto dia após o procedimento, pela manhã; entretanto, à tarde, neste mesmo dia, o paciente retornou ao hospital, com dor abdominal e febre, e foi internado. Neste momento, solicitou-se hemograma, que veio a indicar infecção. No dia seguinte, foi instituído tratamento com antibiótico, mesmo que ainda não se soubesse o foco infeccioso, pois os sintomas indicavam choque séptico. A situação agravou-se, e em nova revisão…